Sem título

Minha busca aventuresca por amigos internacionais

Semana passada eu decidi que queria conversar com estranhos de outros países e que precisava de um app pra isso. Inicialmente, eu procurei algo tipo o chatroulette ou omegle (sites que te conectam com estranhos aleatoriamente para numa tela de chat), mas depois percebi que procurava algo mais específico: eu queria fazer amigos. Queria conversar com pessoas apenas por conversar e queria poder adicionar essas pessoas de alguma forma para continuar falando com elas depois.

A partir daí, eu comecei a caçar recomendações na internet e com amigos. Me convenceram a abrir uma conta no Ok Cupid, o site de relacionamentos, com o argumento de que há a opção de apenas manter a amizade com a galera. Comecei muito mal:

22528_885533104801722_7714918032642555179_n

Mas enfim. Havia uma porção de perguntas que eu deveria responder, além de campos que devia preencher, falando de meus interesses, de minha personalidade, do que procuro em meus parceiros.  Comecei a explorar o Ok Cupid e foi interessante. Pra mim, foi um processo todo de auto-descoberta. Entre as questões que achei ridículas (“Você acha que o mundo seria melhor se pessoas com baixo QI fossem impedidas de reproduzir?” WTF), havia muitas que me deixaram perplexo. A rede me fez perceber vários aspectos de mim mesmo e me fez ver que não quero namorar mesmo.

Quando terminei meu profile, fui tentar falar com as pessoas, mas não achei essa parte tão fácil. Todo mundo estava lá procurando um relacionamento e eu fiquei entediado 5 minutos depois.

Prosseguindo, baixei o Taptrip. Achei o aplicativo genial em sua essência, ele divide os países por abas, cada uma mostra as publicações mais recentes de cada nação, uma espécie de Facebook separado por região. E como num Facebook, o que mais tem são fotos de pessoas felizes, tentando viver suas vidinhas, fazendo o melhor que podem daquilo que tem. Eu me senti especialmente conectado a essas pessoas, mesmo sem conhecê-las. Lá estávamos nós —em lugares diferentes, com histórias diferentes, vivendo sob leis e governos diferentes — e tudo que queríamos era fazer amizades, estabelecer laços, ter vidas “normais”.

Eu também não consegui conversar facilmente no Taptrip. Primeiro eu tive problemas em escolher alguém pra puxar um “hello”. Como sou abertamente gay (e não quis esconder isso no meu perfil, pois um dos tópicos que queria falar era sobre o estilo de vida da comunidade LGBT de outras localidades), não sabia quais caras falariam comigo e quais iriam me xingar. Fui para as meninas. Obtive poucas respostas e no final não fiquei satisfeito. O app traduz as mensagens que você troca para que ambos saibam o que o outro está falando, uma ideia massa, mas mal executada. Eu não conseguia decifrar direito o que queriam dizer naquelas palavras em português todas misturadas e desconexas. Não senti que conseguiria conversar de verdade ali e abandonei o navio.

Comentários de uma foto que alguém compartilhou no Taptrip.
Comentários de uma foto que alguém compartilhou no Taptrip.

Tive algum contato com outros apps, mas não fiquei neles o suficiente pra ter uma história pra contar. Exceto, talvez, o Whisper, onde todos são anônimos, você conta segredos e as pessoas respondem em imagens que são geradas automaticamente por um algorítimo de pesquisa [sarcasmo]muito inteligente[/sarcasmo]:

Screenshot_2015-04-01-14-31-53

O último app que baixei foi o Meow Chat. A primeira coisa que me chamou a atenção foi a função “random chat”. Você clica lá e pode entrar imediatamente em grupos aleatórios, ou recebe algumas opções de usuários do app — algo meio estilo Tinder, você escolhe se quer ou não conversar com as pessoas. Se você quiser (e o outro também), você recebe uma notificação e pode papear normalmente. Mas Meow Chat é bem diferente do Tinder, porque você pode mandar mensagens para as pessoas sem que elas te aceitem ou não. Isso deixa o app mais fluído. É possível procurar pessoas usando um mapa também e mandar um “hi” sem compromisso. Além disso, ele tem uma busca por tags, que pra mim foi maravilhoso: joguei “#gay” lá e achei minha tribo.

gato

Foi nesse app que eu me encontrei. Ele é fofo, fácil de usar e os usuários são super receptivos. Eles querem conversar. É claro, tem sempre um ou outro que só quer trocar nudes, mas no geral as pessoas que encontrei queriam se conectar às outras. Eu fiz bons amigos logo no meu primeiro dia. E continuei falando com eles nos dias seguintes, por horas e mais horas seguidas. A experiência tem sido muito agradável. É engraçado você estar deitado, tentando pegar no sono, enquanto fala com um cara do outro lado do mundo que está indo pro trabalho. Mais que isso, através do app você pode conhecer um pouco do estilo de vida em outros países. E também vai descobrir que a beleza brasileira continua sendo superior (desculpa, humanidade). Apesar de que os mexicanos, Dios mio!…

Enfim, essa foi minha aventura. E essa é minha recomendação: Meow Chat.

É, vai lá, você vai se divertir😉

 

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s