A Árvore da Vida

A Árvore da Vida é um filme chato pra caralho. Completamente parado, com poucos diálogos, pouco sentido, demoradas cenas imagens desconexas, muito simbolismo, nada de explicações, longo. Mas é lindo.

E veja, dizem que quando você usa “mas”, só o que vem depois importa. E é verdade. O filme é tão lindo que faz todo o resto valer a pena. A fotografia é impecável. O som, então, é de arrepiar. As cenas, as paisagens, a iluminação, os efeitos… É como se o filme fosse uma ode à beleza e à graça.

Assista isso em HD e você vai entender o que to dizendo.

A história? Bem… É uma típica família americana com um pai rígido (Brad Pitt), uma mãe delicada (Jessica Chastain) e três filhos. E o mais novo morre (não é spoiler, ele morre no começo e ai o o filme volta pra quando ele tava vivo). O foco da história é o filho mais velho (Hunter McCracken / Sean Penn), que depois de muito tempo de obediência aos pais começa a ficar inquieto e infeliz.

É basicamente isso. Mas o importante mesmo são os questionamentos e a mensagem que é passada através de metáforas. O filme fala de família, da graça, da natureza, da bondade, da felicidade, de Deus e da vida

Dizem é que o filme funciona assim: você o assisti sem entender nada e nem curte muito. Depois você faz uma pausa, respira e pronto. Você passa a amar A Árvore da Vida.

É bem assim mesmo. O sentido do filme é difícil de ser encontrado. Além de não existir uma linearidade, as cenas familiares são intercaladas com imagens da galáxia, de cachoeiras, desertos, vulcões. É quase como se não houvesse um real sentido.

Entretanto, depois que você assiste o filme, mesmo sem entender, a sensação é de que ele permanece com você. As frases continuam em sua mente, as imagens, o som, a beleza, tudo parece permanecer. E aí você olha para o mundo com outros olhos, de forma mais sensível — e creio que seja exatamente esse o objetivo do filme.

Enfim. Não é um filme pra todos. Já aviso que quem quiser vê-lo vai precisar refletir, questionar e assistir mais de uma vez para enfim digerir o sentido (ainda não cheguei lá, mas uma hora consigo, rs). E garanto que quem se propor a fazer isso não vai se arrepender.

A Árvore da Vida (The Tree of Life). Fox. Roteiro e direção de Terrence Malick. USA, 2011.

Help each other. Love everyone. Every leaf. Every ray of light. Forgive. 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s